quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Velocidade: inclusão ou exclusão?




Vivemos a ansiedade do momento seguinte. Trivinho em: O mal-estar da teoria: a condição crítica na sociedade tecnológica atual. Quartet, (2001) utiliza o termo dromoaptidão “o domínio das senhas infotécnicas de acesso à cibercultura”, por extensão, minha concepção é que essas senhas se ramificam na cadeia de reações que toda mudança proporciona. Elas estão nas técnicas de gestão de pessoas, na ocupação do espaço físico, nos comportamentos e nos métodos que tentam decodificá-los, no turnover e na mescla dos momentos da vida pessoal e profissional. A velocidade é exigida e avaliada e, por conseqüência, ela impõe o plugar contínuo. Entretanto, muitos despendem meses para assimilar algo e, quando menos se espera, tudo muda. É preciso absorver o novo de maneira rápida, caso contrário, a exclusão está à espreita. Isso não é uma simples discussão filosófica sobre o bem e o mal, mas da mudança inevitável que ocorre em proveito ou não das pessoas, ela pode incluir, gerar a exclusão ou a auto-exclusão.