domingo, 18 de fevereiro de 2018

Assédio Moral: o declínio das relações humanas.



Há muitas assimetrias no mundo corporativo, mas neste momento eu gostaria de destacar uma delas: O Assédio Moral e seu papel no declínio das relações humanas. Observe ao seu redor! O grande volume de novas tecnologias que impulsionam a produção das "coisas". Contudo, a celeridade técnico-científica não representa necessariamente que as relações humanas tenham evoluído na mesma velocidade. Veja-se, por exemplo, o assédio moral que ocorre nas organizações. 
Esse mecanismo recorrente de desqualificação de uma pessoa por outra que ainda persiste.
Persiste e passa por mutações. Quando um assediador se sente próximo de ser denunciado, tende a dizer à vitima que tudo não passou de uma ‘brincadeira’. Há quem passe a manipular o assédio e age de modo não verbal. O não olhar ou olhar com desprezo quando se dirige à vítima, estão entre esses métodos.
O tema não pode ser esquecido, já que a eliminação dessa perversidade corporativa não pode depender apenas das denúncias, é preciso incorporar medidas preventivas nas Práticas de Desenvolvimento de Pessoas. O assédio representa um desajuste no mundo do trabalho, a relação assediador e assediado indica um doente que busca adoecer outra pessoa.
Quando você for participar de uma entrevista de emprego, pergunte sobre os resultados das pesquisas de clima organizacional, busque informações sobre processos julgados – muitas estão acessíveis na internet - ou solicite dados sobre a formulação de metas e os fatores que a empresa proporciona para o cumprimento delas. Veja também se possuem um Canal de Ouvidoria Interna e os caminhos para acessá-la.
Reconhecemos que os investimentos em novas tecnologias são imprescindíveis às empresas, entretanto, a distribuição dos valores financeiros também devem incorporar ações de tratamento e eliminação do assédio moral.

Renato D. Baptista