domingo, 12 de abril de 2015

Simetrias entre a peste e a corrupção


"A honestidade pode vencer a peste e também pode vencer a corrupção"


(...) O tempo descrito por Albert Camus demonstra perenizar e estar à espreita e sedento por vínculos. E este é o momento da conexão não aleatória, um tempo carregado por um descontentamento generalizado com a corrupção. A descrença na política que ora é asfixiada pela crença naqueles que se comprometem em extirpá-la, ora ressurge cambaleante e sem direção e faz renascer a mágoa na população. Uma população cansada sente que está distante daquilo que mais deseja. Sim o amor desaparece porque o amor quer coisas futuras e o futuro parece nebuloso. (...)


Texto completo: acesse o link do Jornal Estadão: http://www.estadao.com.br/noticias/geral,simetrias-entre-a-peste-e-a-corrupcao,1586704