sábado, 27 de junho de 2009

Cultura e Internet



A cultura visual digital (Darley) conduz para uma via de análise sobre a transição da sede dos órgãos sensoriais receptores da informação. É provável que as novas tecnologias digitais reconfigurem sensações na subjetividade com uma extensão e intensidade não identificada em meios de épocas anteriores. O visual pelo caminho digital, predomina, populariza e se destaca sobre as demais mídias.

As novas formas da cultura visual e seus mecanismos de imagem e sensação, considerados como ruptura – na hipótese de Darley - ou uma continuidade intensificada, seja um, seja outro, redirecionam como um adendo a espetacularização debordiana.

É possível associar outras reconfigurações no mundo digital. Um “espaço” de manifestações culturais, artísticas e profissionais ou agrupadas como em webartists. Mas, no conjunto, há uma nova face do “espetáculo”, o inconsciente unplugged ou, como numa recomposição dos padrões junguianos, é uma breve similaridade ao inconsciente coletivo digital em free backup. (Baptista, Renato Dias).

Texto originalmente publicado em:

http://netart.incubadora.fapesp.br/portal/Members/rdbap