domingo, 24 de agosto de 2008

Estratégias comunicacionais para a liderança nas organizações

Quando identificamos um lider, tendemos, com freqüência, em caracterizá-lo como possuidor de características como, entre muitas, a habilidade comunicacional.
A habilidade comunicacional é a integradora entre as demais características que um lider deve possuir. Mas porque ela é tão importante assim?
Se levarmos em conta o momento de mudanças contínuas, baseadas na aquisição de novas tecnologias e redesenhos nas estruturas hierárquicas e nos processos de trabalho, identificaremos essa acentuada valorização. A comunicação vai além da capacidade de verbalização do líder. A comunicação deve levar em conta a cultura organizacional. O uso inteligente dessa análise é fundamental para a gestão das mudanças. Mudanças organizacionais, o que isso representa de fato? Em primeiro lugar, já é concebido que as organizações passam por transformações crescentes que geram modificações nas pessoas. Com as novas tecnologias, necessitamos de novos conhecimentos, tanto para execução de operações como na gestão. Isso significa a necessidade de um redesenho organizacional que leve em conta as pessoas. Esse redesenho exige uma redefinição dos perfis humanos para o desempenho das funções. As mudanças requerem, portanto, uma conexão estratégica entre pessoas e tecnologias. Quando uma empresa implanta um novo processo, ele estará sujeito aos padrões culturais estabelecidos, portanto, respeite a cultura da organização. Respeitar a cultura, não significa considerá-la como imutável. Uma organização que é gerida estrategicamente, considera o estágio atual de desenvolvimento como possuidor de ricas informações, é uma ingenuidade acreditar que uma empresa obsoleta, por exemplo, possa galgar repentinamente uma cultura de valorização e fomentação do capital intelectual. A análise da cultura organizacional é um princípio básico em vários momentos. Seja na mudança organizacional ou seja no desenvolvimento profissional, o estudo da cultura fornece dados fundamentais para a tomada de decisão.
Diagnostique o processo comunicacional: o diagnóstico permite identificar as tecnologias utilizadas, a disposição dos escritórios, o layout, os níveis hierárquicos e educacionais, o grau de terceirização, enfim, um diagnóstico leva em conta toda a forma verbal e não-verbal da comunicação. Uma forma não-verbal de comunicação é relatada por Jan Carlzon em seu livro "A Hora da Verdade" (Moments of Truth) ao descrever as mudanças que realizou na empresa SAS (Scandinavian Airline Systems), ele destacou a importante conexão entre o papel da liderança e da comunicação, mais especificamente, a comunicação não verbal. Assim, ouvir a equipe é um grande negócio: A ouvidoria tem o papel da integração. Para tanto, necessita de uma adequada organização das informações coletadas para viabilizar o desenvolvimento das estratégias. Vale lembrar que a organização integra-se entre seus subsistemas internos e sofre influencias externas. Nesse aspecto, a gestão da comunicação nas organizações pode ser compreendida pela inter-relação da cultura e do feedback que está inserido no clima organizacional (BAPTISTA, 1997).
BAPTISTA, R. D O processo de comunicação e clima organizacional na entrada de novas tecnologias. Dissertação (Mestrado em Comunicação) Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 1997.
CARLZON, J. A hora da verdade. São Paulo: Sextante, 2005.